sexta-feira, 19 de junho de 2009

Séries Campeões Olímpicos da Maratona - VIII-Amsterdam Holanda 1928





Ahmed Boughèra El Ouafi (15 de outubro de 1898 - 18 de outubro de 1959) foi um atleta nascido na Argélia, que representou esportivamente a França na época em que o país era uma possessão francesa e venceu a maratona dos Jogos Olímpicos de Amsterdam em 1928.

Boughera nasceu perto da cidade argelina de A Ouled Djellal e na juventude passou a integrar o regimento do exército francês lá baseado. Um de seus oficiais superiores notou suas habilidades para o atletismo e decidiu enviá-lo para competições militares na França, onde obteve bons resultados e causou boa impressão, sendo selecionado para representar o país na maratona dos Jogos de Paris em 1924.

Em Paris, El Ouafi completou a maratona num honroso sétimo lugar, o que o credenciou para continuar treinando para os próximos Jogos, em Amsterdam, quatro anos depois.

Nos Jogos Olímpicos de 1928, El Ouafi disputou a maratona de maneira conservadora, correndo atrás dos líderes finlandeses e japoneses que ditavam o ritmo da prova até assumir sozinho a liderança com menos de 5 kms para a chegada e disparar para a vitória com 26 s de vantagem e 150 m de distância para o segundo colocado, o chileno Manuel Plaza-Reyes. Mero soldado raso de pouca instrução, o ingênuo El Ouafi não se apercebeu da grandiosidade histórica do que tinha realizado, sendo o primeiro atleta de um território africano colonizado a triunfar na mais dura e lendária prova dos Jogos Olímpicos.

Após a medalha de ouro, Boughèra fez uma turnê atlética pelos Estados Unidos colhendo os louros da fama, mas o dinheiro que arrecadou o desqualificou como atleta amador pelas regras do COI e ele abandonou o atletismo.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

09 de julho de 2008 - Super 9 São Paulo Interlagos



Olá Pessoal,

No ano passado participei desta prova, só para poder entrar dentro da pista de Interlagos(Autodromo José Carlos Pace), coisa de louco correr numa pista de corridas de automóvel. Além do cenário, circular pelas dependências internas do autodromo é demais. Quem ainda não correu, vale a pena, veja o filme que fiz, nesta postagem. Para se ter uma idéia da dificuldade, a prova começa na pista dentro dos boxes, tudo plano, aí começa a descer ao lado da curva do S do Senna, até chegar na curva do lago, depois disso, é só subida, realmente um desafio, este ano estaremos lá de novo. Para acessar o site da prova clique no link da Yescom.
abraços a todos
Luís Eduardo video

Mizuno 10 Milhas



Olá Pessoal,
Dia 2 de agosto estarei participando da Mizuno 10 milhas, primeira vez que farei uma prova de 10 milhas, embora meus treinos estejam sempre nesta faixa de distancia, sempre é bom participar de provas para avaliar a evolução após seguidos treinos. O pessoal da Playteam estará, como sempre, no apoio dos atletas da equipe...
abraços a todos
Luís Eduardo

quarta-feira, 10 de junho de 2009

09 de junho de 2009 - Treino no Ibirapuera



Olá Pessoal,
Ontem de manha fui treinar no Ibirapuéra, e usei meu celular para marcar o percurso, o tempo, as passadas, e outras informações uteis para avaliar o treinamento, este celular é equipado com GPS e um programa chamado Sports Tracks, o equipamento captura todas estas informções, achei muito legal e passo a voces o resultado. Foram 12Km, num percuso de 6Km cada, que eu mesmo desenvolvi. A 1a foto é um integração do resultado do percurso com o GoogleMaps, aquela entrada na lateral da Bienal são as rampas que uso para treinar subidas, a 2a foto é a planilha contendo as informações estatisticas... espero que gostem, em tempo, o celular é um Nokia N95 de 2GB.
Clique na imagem para ampliar.
abraços
Luís Eduardo

terça-feira, 9 de junho de 2009

Série A São Silvestre - Quadro de Campeões III - As Mulheres



Olá Pessoal,
Aqui vão os quadros da vencedoras.
Abraços
Luís Eduardo

Série A São Silvestre - Quadro de Campeões II



Olá Pessoal,
Aqui vão os quadros da fase Internacional da São Silvestre vencedores masculinos.
Abraços
Luís Eduardo

Série A São Silvestre - Quadro de Campeões I


Olá Pessoal,
Nesta postagem apresento o quadro de vencedores da São Silvestre fase Nacional que ocorreu entre 1925 e 1944, nesta fase não tinhamos corredores estrangeiros nem corredoras, estrangeiros só no ano seguinte e mulheres só em 1975, quando a ONU proclamou o Ano Internacional da Mulher. Observem que as distâncias variavam bastante. Para melhor visualização clique na imagem para expandir.
Abraços
Luís Eduardo

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Series Campeões Olímpicos da Maratona - VII-Paris França 1924




Oskar Albinus "Albin" Stenroos(Vehmaa, 25 de Fevereiro de 1889 - Helsinque, 30 de abril de 1971) foi um atleta finlandês, vencedor da maratona dos Jogos Olímpicos de Paris de 1924.

Albin correu sua primeira maratona aos vinte anos em 1909 quando conquistou a medalha de ouro no campeonato nacional finlandês, mas após esta prova resolveu se dedicar a distâncias mais curtas. Só correria outra maratona em 1924, nos Jogos Olímpicos.

Nos Jogos de Estocolmo de 1912, conseguiu sua primeira grande vitória ao conquistar a medalha de bronze nos 10.000m, atrás do grande campeão e compatriota Hannes Kolehmainen, e ajudaria seu país a conquistar a prata na prova de cross-country por equipes, começando a estabelecer uma geração de atletas que seria conhecida em todo mundo como os Finlandeses Voadores. Durante a Primeira Guerra Mundial, Albin dominaria as provas de 5.000, 10.000 e Cross-conutry na Finlândia na ausência de Kolehmainen.

Entre 1915 e 1923, quebraria os recordes mundiais dos 30 km e dos 20 km em estrada.

Stenroos não participou dos Jogos de 1920 em Estocolmo e com o acúmulo de grandes atletas finlandeses inscritos para disputar as provas de 5.000 e 10.000 m dos Jogos seguintes em Paris, optou por disputar a maratona, prova na qual só tinha competido uma vez e da qual não participava há quinze anos.

Em Paris, ele conquistou finalmente a medalha de ouro olímpica (naqueles Jogos os finlandeses voadores ganharam todas as medalhas de ouro do atletismo entre os 1500 m e a maratona) vencendo a maratona com seis minutos de diferença para o segundo colocado, em 2h41m22s.

Após um segundo lugar na Maratona de Boston de 1926, Albin Stenroos, um dos grandes atletas da geração conhecida como ‘finlandeses voadores’, abandonou o atletismo aos 37 anos de idade.

sábado, 6 de junho de 2009

Series Campeões Olimpicos da Maratona - VI-Antuérpia Bélgica 1920




Juho Pietari "Hannes" Kolehmainen(Kuopio, 9 de dezembro de 1889 - Helsinque, 11 de Janeiro de 1966) foi um corredor finlandês de longa distância, o primeiro de uma série de grandes fundistas olímpicos conhecidos como Finlandeses Voadores.

Em 1912, Hannes inaugurou o domínio finlandês destas provas nas Olimpíadas, que duraria mais de vinte anos, ao ganhar três medalhas de ouro nos 5.000, 10.000 m – nesta prova ele derrotou o até então invencível corredor francês Jean Bouin e quebrou o recorde mundial - e nos 3.000 m cross-country por equipes. nos Jogos de Estocolmo, Suécia.

Nesta época, a Finlândia era uma província russa e apesar de terem equipes diferentes nos Jogos, foi a bandeira russa a hasteada depois de suas vitórias, o que provocou o comentário de Hannes de que “quase preferiria não ter vencido”.

Com a carreira interrompida no auge por causa da Primeira Guerra Mundial, Kolehmainen retornou aos Jogos Olímpicos, em Antuérpia 1920, optando agora por uma corrida mais longa, de menor velocidade e mais resistência - a Maratona - e conquistou a medalha de ouro na prova, a quarta de sua carreira olímpica.

A partir daí, Hannes Kolehmainen já tinha um grande sucessor no compatriota e pupilo Paavo Nurmi, que dominaria as corridas de fundo desta década e que, junto com ele, acenderia a pira olímpica na abertura dos Jogos de Helsinque, Finlândia em 1952.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

29 de junho de 2008 - XIII Corrida Corpore Bombeiros






Olá Pessoal,
Esta chegando a XIV-Corrida Corpore Bombeiros 10K, que sempre é disputada pelas ruas do Bairro do Ipiranga, precisamente entre o Parque da Independência, corri o ano passado e estou postando algumas fotos e filme sobre o evento. Naquele dia encontrei meus amigos corredores Roberto Borelli e o Zé, isso mesmo o Zé(fotos), o mais velho da turma dá um poeirão em muita gente nova. A Corrida, para mim, tem um significado especial, pois eu nasci nas imediações onde a prova é disputada(Maternidade Leão Treze, hoje Hospital São Camilo, na Rua Coronel Diogo) , também morei em uma das ruas do percurso, a Rua Bom Pastor. Imaginem eu correndo, agora, com 60 anos, numa rua onde morei desde o meu nascimento até os meus 10 anos, e que corria por essa rua como um moleque que sempre fui. Realmente fiquei emocionado! Passei por lá várias vezes, mas de carro, não correndo, o passado voltou à mente. Este post é da corrida do ano passado, vejam o filme abaixo.
abraços
Luís Eduardo video

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Série A São Silvestre - O Inicio


Olá Pessoal,

Esta série estarei postando a história desta prova (foto ao lado, São Silvestre de 1925), com todos seus vencedores, masculinos e femininos, para começar aqui vai o material disponível na Wikipédia :

A Corrida Internacional de São Silvestre é a mais famosa corrida de rua no Brasil, realizada anualmente na cidade de São Paulo, no dia 31 de dezembro, dia de São Silvestre (data de morte do papa da Igreja Católica, canonizado também neste dia, anos depois, no quarto século da Era Cristã) e de onde vem o seu nome.

A corrida tem um percurso atual de 15 kms, menos da metade de uma maratona, mas com quase todas dificuldades de uma devido a fatores como o intenso calor do verão brasileiro e os obstáculos geográficos a serem superados pelos participantes. Desidratação e insolação, entre outros, não são fatos raros tanto entre os profissionais como entre amadores, a grande maioria dos participantes.

História.

O Jornalista Cásper Líbero, um milionário que fez fortuna no início do século XX no setor de imprensa, é o idealizador e fundador do evento. Sua idéia original era utilizar a corrida como meio de promoção de seu jornal. Em 1928, ano da quarta edição do evento, Líbero fundou um dos primeiros periódicos dedicados exclusivamente ao esporte no país, a Gazeta Esportiva, que a partir de então passou a ser a organizadora e patrocinadora oficial do evento, condição que detém até os dias atuais. A corrida tornar-se-ia o principal meio de publicidade daquela publicação esportiva.

A primeira edição da corrida foi realizada em 31 de dezembro de 1925. Dado importante é o fato de que, ao contrário de outros eventos desportivos tão ou mais antigos, a Corrida de São Silvestre nunca deixou de realizar-se, nem mesmo durante a Segunda Guerra Mundial.

Originalmente restrita a homens, o regulamento original da competição também previa a participação exclusiva de cidadãos da cidade de São Paulo. Nos anos seguintes, corredores de outras partes do país foram aceitos ao evento, mas somente em 1941 a corrida seria vencida por um corredor de fora do estado de São Paulo: José Tibúrcio dos Santos, de Minas Gerais. Nesta época, a participação de estrangeiros era proibida. É preciso salientar que a regra bania a vinda de atletas estrangeiros para participar, mas não impedia que estrangeiros residentes na cidade de São Paulo (imigrantes) participassem. Nesse contexto, um italiano, Heitor Blasi, foi o único estrangeiro a vencer a prova antes de 1947.

Em 1945 foi liberada a participação de estrangeiros, mas apenas para corredores convidados provenientes de outros países da América do Sul. O sucesso das duas primeiras edições internacionais, no entanto, levou os organizadores a liberarem a participação de corredores de todo o mundo a partir de 1947. Este ano marcou o início de período de 34 anos durante o qual nenhum brasileiro venceria a prova, o que se encerrou somente quando José João da Silva, de Pernambuco, venceu a edição de 1980 (feito que repetiria em 1985).

A corrida permaneceria restrita a homens até 1975, quando as Nações Unidas declararam aquele ano como o Ano Internacional da Mulher. Os organizadores da São Silvestre aproveitaram o momento para realizar a primeira corrida feminina no mesmo ano. O evento feminino começou já com livre participação internacional, e a primeira vitória brasileira ocorreria somente na 20ª edição da prova, quando Carmem Oliveira venceu, em 1995.

Em 1993, realizou-se a primeira maratona infantil, para crianças de ambos os sexos, denominada “São Silvestrinha”.

Até 1988, a corrida era realizada à noite, geralmente iniciando-se às 23:30, de forma que os primeiros classificados cruzavam a linha de chegada por volta da meia-noite, mas o ano de 1989 foi marcado por sensíveis modificações no formato do evento. O objetivo era cumprir as determinações da Federeção de Atletismo. O horário de início da corrida foi alterado, passando às 15 horas para mulheres e às 17 horas para homens; e a distância a ser percorrida, que variava quase que anualmente (geralmente entre 6,5 e 8,8 km) foi definitivamente fixada em 15 km, o mínimo exigido pela Federação de Atletismo. Naquele mesmo ano de 1989, a São Silvestre foi oficialmente reconhecida e incluída no calendário internacional da Federação.

Crescimento e Prestigio

Na primeira edição do evento, em 1925, 60 pessoas preencheram o formulário de inscrição para participar do evento, mas apenas 48 compareceram no local e horário marcados para o evento. Desses, apenas 37 foram oficialmente classificados, pois o regulamento da época exigia que todos os corredores cruzassem a linha de chegada em no máximo 3 minutos após a chegada do vencedor para que fossem classificados no quadro oficial da prova.

Em 2004, 13 mil homens e 2 mil mulheres participaram em seus respectivos eventos.

Apesar de ter sido aberto à participação internacional já em 1945, a São Silvestre adquiriu fama no calendário do atletismo internacional apenas em 1953, quando o corredor mais famoso da época (e, possivelmente, de todos os tempos), Emil Zatopek, participou e venceu a corrida. Nas últimas duas décadas, quase todos os principais corredores de longa distância do mundo (com a notável exceção de Haile Gebrselassie da Etiópia) participaram da São Silvestre pelo menos uma vez.

O maior vencedor de todos os tempos é, no momento, Paul Tergat, do Quênia, que venceu a prova 5 vezes (1995, 1996, 1998, 1999, e 2000). Tergat também detém o recorde para a atual distância de 15 km, marcado já em sua primeira participação no evento, de 43 minutos e 12 segundos.

Vencer a Corrida de São Silvestre representa fama instantânea no Brasil. Em decorrência de seus resultados, Paul Tergat tornou-se uma das mais conhecidas personalidades africanas no país.

Nas próximas postagens da Série A São Silvestre estarei apresentando os seus vencedores, masculinos e femininos.

abraços a todos

Luís Eduardo

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Série Grandes Corredores


Olá pessoal,

Voces sabiam que Emil Zátopek (Koprivnice, 19 de setembro de 1922 - Praga, 22 de novembro de 2000) é o único homem a vencer os 5000 metros,10000metros e a maratona numa mesma olímpiada. O feito aconteceu nos Jogos de 1952, em Helsinquia, na Finlândia.

Zátopek já havia participado da Olímpiada de Londres de 1948, quando foi medalhado com o ouro nos 10.000 m e a prata nos 5.000 m. Mas foi em Helsínquia, aos trinta anos de idade, que conseguiu sua façanha gloriosa: venceu os 10.000 m com o novo recorde olímpico de 29 min 17 s. Quatro dias depois, conquistou a medalha de ouro nos 5.000 m com o tempo de 14 min 6 s 6. E três dias depois, enfrentava a Maratona no que era a sua primeira experiência na distância. Como era "calouro", Zátopek resolveu acompanhar os "especialistas" e acabou vencendo com o novo recorde olímpico de 2 h 23 min 4 s.

Esse atleta foi demais não acham, também ganhou uma Prova da São Silvestre em 1953 com o tempo de 20:30 em 7,3 km.

abraços

Luís Eduardo

Série Campeões Olimpicos da Maratona - V-Estocolmo Suécia 1912




Kennedy "Kenneth" Kane McArthur (Dervock, 10 de fevereiro de 1881 - Potchefstroom, 13 de junho de 1960) foi um atleta sul-africano, campeão da maratona nos Jogos Olímpicos de 1912 em Estocolmo.

Nascido num condado do interior da Irlanda do Norte, desde adolescente ele mostrou ser um atleta promissor, mas não se interessou em seguir a carreira atlética e emigrou para a África do Sul em 1901. Em 1906, após entrar para a força policial de Joannesburgo, McArthur começou a levar mais seriamente o atletismo, passando a disputar corridas e ganhar títulos em cross-country entre 1906 e 1908, quando disputou sua primeira maratona, vencendo, para surpresa de muitos, o vice-campeão olímpico dos Jogos de Londres naquele ano, Charles Hefferson. Em 1908 também conquistou o campeonato sul-africano da milha e dez milhas.

Em 1912, McArthur foi selecionado para representar a África do Sul na maratona dos Jogos de Estocolmo. Correndo na liderança com seu companheiro de equipe Christian Gitsham debaixo de forte calor, a dupla sul-africana abriu grande distância dos outros competidores até Grisham resolver dar uma parada para beber água, acreditando que McArthur pararia com ele. Em vez disso ele continuou correndo com toda velocidade possível, abrindo uma distância que Grisham não pôde mais alcançar.

Com a aproximação da linha de chegada no estádio olímpio lotado, McArthur começou a sofrer seriamente da fadiga provocada pelo esforço de correr 42 km no calor e quase teve um colapso próximo da chegada, sendo animado por um torcedor sueco que invadiu a pista e lhe colocou uma coroa de flores em volta do pescoço gritando palavras de encorajamento.

Foi o suficiente para ele disparar para a chegada, vencendo a prova com 58 segundos de diferença para o segundo colocado, Grisham, em 2 h36 min 54 s, novo recorde olímpico.

Na temporada seguinte, McArthur se contundiu num acidente e foi obrigado a abandonar o atletismo. Em sua carreira correu um total de seis maratonas e venceu todas.

Maratona Internacional da Cidade de São Paulo







Olá Pessoal,
Mais fotos do pessoal da Playteam na Maratona deste domingo...
Fotos ao lado : Norbeto, Luís Eduardo, Cristiane, Marcelino e Laércio, o trio Romilio Flávio e Vanessa, e a Clausia
abraços
Luís Eduardo

segunda-feira, 1 de junho de 2009

01 de junho de 2009 - Maratona Internacional da Cidade de São Paulo








Olá pessoal...
Bem, vamos à corrida de ontem, muito vento, temperatura boa pra corrida, sem chuva, pouco sol, agora, cansativa demais, pelo menos pra mim, os 2 tuneis, as 2 pontes, formam um desafio, imagino quem correu a maratona, eu só fiz os 25K. Encontrei com o pessoal da playteam, isso é que foi demais, todos num pique só, no fim cheguei junto com a Clausia, pegamos o onibus e voltamos pro Ibirapuera, bela organização, agua gelada, gatorade, enfim bem organizada, só faltou o kit lanche no final dos 25k, imagino que tenha acabado. Quero agradeçer o apoio dado pela playteam, quando entrei na USP, naquele cansaço, deparei com o Ricardo e o outro rapaz que esqueçi o nome distribuindo agua e gatorade pra turma, foi emocionante, gratificante, ver que tem pessoas que se preocupam com seus colegas, nota 1000 pra playteam. A reportagem filmada ficou muito boa espero que gostem, estou postando algumas fotos que tirei e algumas do Francisco, no decorrer da semana irei colocar fotos de outras agencias.
abraços a todos... e até a corrida dos Bombeiros... 05 de julho de 2009
Luís Eduardo video